Texto:

Hebreus 10: 12-23

12 Jesus, no entanto, havendo oferecido para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita de Deus, 

 13. aguardando, daí em diante, até que seus inimigos sejam submetidos por estrado de seus pés.  

14. Porquanto, com uma única oferta, aperfeiçoou por toda a eternidade todos quantos estão sendo santificados.  

15. E disso, igualmente, nos dá testemunho o Espírito Santo, porquanto, após ter declarado:  

16. “Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor. Colocarei as minhas leis no âmago do seu coração e as inscreverei profundamente em sua mente”,  

17. conclui: “Dos seus pecados e iniquidades nunca mais me permitirei recordar”.  

18. Afinal, onde todas as transgressões foram perdoadas, não existe mais qualquer necessidade de oferta de sacrifício pelo pecado.  

19. Sendo assim, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos mediante o sangue de Jesus,  

20. por um novo e vivo Caminho que Ele nos descortinou por intermédio do véu, isto é, do seu próprio corpo;  

21. e tendo um magnífico sacerdote sobre a Casa de Deus.  

22. Portanto, acheguemo-nos a Deus com um coração sincero e com absoluta certeza de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada, e os nossos corpos lavados com água pura.  

23. Sem duvidar, mantenhamos inabalável a confissão da nossa esperança, porquanto quem fez a Promessa é fiel;  

Introdução:

Quando Jesus foi à Cruz, Ele cumpriu Sua parte na Aliança que nos propôs, dando o seu sangue puro e sem pecado em favor do nosso sangue pecador, realizando assim o sacrifício vicário, ou, de substituição e a partir daquele momento tornou-se nosso Sumo Sacerdote (Hb 2:17), rasgando o véu que nos separava de Deus e este véu era o nosso pecado (Is 59:2). Porém, para desfrutarmos dos benefícios desta aliança, nós precisamos permitir que o Espírito Santo testifique essas coisas colocando suas leis nas nossas mentes e nos nossos corações ( v.12-17) e com isso tomaremos algumas atitudes diárias que nos revelarão diante do Pai verdadeiros Cristãos:

1) Arrependimento Genuíno: Quando essas leis que regulamentam o Reino de Deus, penetram no nosso interior promovem em nossas vidas um profundo e verdadeiro arrependimento dos nossos pecados. Quando o Espírito Santo gera em nós o arrependimento genuíno, ele produz em nós alguns frutos, (Mateus 3: 8. Produzi, sim, frutos que mostrem vosso arrependimento!) e um destes frutos, ao contrário do que supõem os religiosos, (Lc 18: 9) é o reconhecimento da nossa condição de pecadores, (Mateus 3: 9. Não presumais de vós mesmos, dizendo: ‘Temos por pai a Abraão’; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode gerar filhos a Abraão.)

2) Confissão de pecados: Muitos acreditam que quando decidem caminhar com Jesus, arrependem-se de seus pecados e passam pelo batismo não há mais o que confessar, porém quem busca conhecer e praticar a Palavra, percebe que a confissão é uma prática que se prolonga até o Retorno do Messias. Há vários textos que apontam para isso: Pv 28:13; Tg 5:16, Sl 32:5, Lv 5:5, At 19:18, Ne 9:2, Dn 9:20, Ne 1:6, 1 Jo 1:9 etc. 

3) Conversão ou mudança de comportamento: Quando o Espírito Santo gera em nós o arrependimento genuíno, ele gera conversão, ou seja, mudança de rota, (At 3:19), (2 Crônicas 7: 14. e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.) 

Não podemos dizer que nos convertemos, se continuamos a praticar as mesmas coisas que outrora.

Quando nos arrependemos, reconhecemos nossa miserável condição de pecadores e confessamos os nossos pecados e deixamos a prática do pecado, somos agraciados pelo Senhor com o perdão e a purificação (v.17-18). E a partir desse momento temos liberdade de entrar no seu Santuário.

4) Prática da intercessão: Quando recebemos o perdão dos nossos pecados, alcançamos a liberdade de entrar diante de Deus, com isso alcançamos também a responsabilidade de levar até Ele a vida daqueles que ainda não foram tocados por Ele. Além de adora-lO por quem Ele é, precisamos revelar sua santidade aos que ainda não O conhecem e além de dar testemunho de uma vida transformada, precisamos apresentar ao Senhor as nossas orações e súplicas em favor dos que ainda não alcançaram tamanho privilégio.

Conclusão:

Jamais podemos nos esquecer de que esse perdão dos nossos pecados e liberdade de entrar no Santíssimo Lugar, só alcançamos por meio do sacrifício de Jesus. É por causa dEle que hoje temos livre acesso ao Trono do Pai. (V.19-20). Por meio de Jesus, temos convicção de que quando Ele voltar para nos buscar, nós entraremos com Ele nas Bodas do Cordeiro, porém, é necessário que continuemos firmes na nossa confissão de fé, sem vacilar na nossa confiança.

Para meditar:

Hebreus 2: 18. Considerando, portanto, tudo o que Ele mesmo sofreu quando tentado, Ele é capaz de socorrer todos aqueles que semelhantemente estão sendo atacados pela tentação.

Ministério Monte Sião

Ministério de Células - Esboço de Marcia Lembrance Morello