Porque tenho dificuldades financeiras?

Juntamente com as lutas vem a pergunta: “Se sou dizimista e ofertante, por que tenho dificuldades financeiras?”.

Não se trata de um estudo teológico, mas, sim, de princípios que Deus tem ministrado na minha vida e da minha família. Muitos destes princípios não fui eu quem os elaborou. Tenho ouvido de pregadores, pastores e líderes evangélicos e todos têm sido uma realidade em nossa vida.

1. Princípio da posse - Sl 24.1

Precisamos reconhecer que tudo o que temos pertence a Deus. Ele apenas permite que temporariamente desfrutemos de alguns benefícios, como casa, carros, roupas, bens etc. Importante nunca perdermos de vista que devemos ser bons mordomos de tudo que Deus nos deu.

Pelo fato de a terra e tudo que nela há pertencem a Deus, devemos compreender que não somos nada mais que mordomos ou administradores.

Portanto devemos nos comprometer a administrar adequadamente este mundo e seus recursos, mas, não devemos nos apegar a nada que nele há e nem atuar como se fossemos os únicos proprietários, porque tudo isso passará.

2. Princípio da fidelidade - Ml 3.8-10

Ser fiel no dízimo e nas ofertas. Não é “pagar” o dízimo e sim devolver a Deus o que lhe pertence. Deus definitivamente não precisa do nosso dinheiro, afinal de contas, Ele é dono de todo ouro e toda prata. O que Ele quer é a fidelidade do nosso coração.

Dizimar: é obediência à palavra de Deus.

Ofertar: é demonstrar gratidão a Deus por nos confiar tudo que ele criou, e também é a chave para nossa prosperidade.

3. Princípio da benção - Ml 3.11

Como cristão aprendi que 90 é mais do que 100. Só em Deus 90% pode ser mais do que 100%. Hoje eu entendo que consigo viver melhor com 90% dos meus rendimentos, do que vivia antes com os 100%. Responda-me uma pergunta: Você prefere 100% com o devorador na sua vida ou 90% com as janelas do céu abertas?

4. Princípio da Soberania - Rm 11.36

Dele – é por causa da vontade soberana de Deus que você tem o que tem, trabalha onde trabalha e ganha o que ganha.

Por meio Dele – é por causa da atividade soberana de Deus na sua vida, dando-lhe saúde, renovando a cada dia a sua misericórdia sobre você, dando-lhe capacidade, inteligência, etc. é que você pode produzir algo. Para Ele – TUDO deve voltar pata Ele, dando-lhe a glória soberana.

Se analisarmos intimamente este versículo veremos que todos dependemos diretamente de Deus. Ele é a fonte de tudo. Ele é o poder que sustenta toda a criação.

5. Princípio do simples - Mt 6.33

Devemos aprender a viver o simples de Deus. Que coisas são estas às quais se refere o texto? Leia comigo a partir do verso 25. Estas coisas são: comida, bebida e vestimenta - o simples de Deus. Aqui cabe um alerta ao consumismo pregado pelo sistema do mundo.

Buscar primeiro o reino de Deus e sua justiça significa procurar sua ajuda em primeiro lugar. Impregnar nossos pensamentos com os desejos de Deus, tomar seu caráter como modelo e servir e obedece-lo em tudo.

6. Princípio da boa administração - Lc 14.28-33

Boa administração. Um controle simples, porém, eficiente de orçamento doméstico ou um fluxo de caixa da sua igreja ou organização. Regra básica: não posso gastar mais do que ganho. Óbvio? Se fosse tão óbvio assim para todos, não precisaria escrever este artigo.

7. Princípio da “quitação” - Rm 13.8

Isso mesmo. Não dever. Quitar nossos compromissos. Certa vez ouvi uma definição de crédito que me chamou a atenção: Crédito é o meio pelo qual compramos o que não precisamos, com o dinheiro que não temos, para agradar as pessoas de quem não gostamos. Forte não? Mas crédito sem controle vira dívida.

Vale observar que, na minha concepção, dívida é aquilo que não conseguimos pagar. Um financiamento de um imóvel por longo prazo, por exemplo, terá suas parcelas a vencer.

Este é um compromisso assumido, planejado, que no vencimento será quitado.

Dívida é não o pagar.

8. Princípio do Maná - Ex 16

Quando Deus dá o maná ao povo no deserto, Ele orienta o povo, através de Moisés, a não guardarem o maná para o dia seguinte. O povo deveria pegar somente a quantidade necessária para o dia. Porém, o povo desobedeceu, colhendo a mais e guardando. No verso 20 vemos que o maná cheirava mal e tinha bichos. Fazendo uma aplicação desta passagem, concluo que toda vez que desejamos algo ou nos apossamos (compramos) de algo que não é para nós naquele momento, vamos ter problemas (cheira mal / dá bichos).

Conclusão: Baseado nos princípios descritos acima, podemos avaliar a nossa vida financeira e tomar as decisões necessárias.

Deus está pronto para nos ajudar por isso Ele mesmo, nos orienta a buscá-lo primeiro que todas as coisas (Mt 6.33).

Roberto e Lourdes. Baseado em esboço de Pedro Leal Júnior

2019 – Chamados para servir!